População em situação de rua debate Vigilância em Saúde

Acesso à saúde, condições sanitárias nos albergues, distribuição de alimentos, qualidade da água para consumo e higiene pessoal e combate às epidemias e enfermidades, como tuberculose e pneumonia, estarão entre os temas da 1ª Conferência Livre de Vigilância em Saúde da População em Situação de Rua. 

O evento, promovido pelo Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR), será realizado nos dias 26 e 27 de setembro, embaixo do Viaduto Pedroso, em São Paulo (SP).

Aberto para o público em geral, a conferência visa ampliar o debate para pessoas que não são de movimentos sociais, a fim de elaborar propostas para a vigilância em saúde das pessoas que moram nas ruas.

Segundo estudo publicado em 2015 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 101 mil pessoas vivem nas ruas de todo o país, sendo que a maior parte dessa parcela está concentrada nos grandes municípios. Porém, o número pode ser ainda maior, uma vez que nem todos os moradores estão incluídos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

“Esse senso não condiz com a realidade, porque somente 12,5% da população de rua está neste cadastro”, avalia o conselheiro nacional de saúde e representante do MNPR, Vanilson Torres.

O assunto também deverá ser abordado na conferência livre, uma vez que os dados atualizados são essenciais à formulação e implementação de políticas públicas para essa parcela de brasileiros.

Na conferência da população em situação de rua serão eleitos delegados e delegadas para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS), que ocorrerá em Brasília, de 28 de novembro a 1º de dezembro.

Ascom CNS

Ler 526 vezes