Delegados da Conferência de Vigilância em Saúde debatem políticas públicas para o AP

Participantes aprovaram propostas do segmento que serão apresentadas em Brasília

 

Aconteceu nos dias 11 e 12, sábado e domingo, na Universidade do Estado do Amapá (Ueap), a etapa estadual da I Conferência Nacional de Vigilância em Saúde. Foram credenciados 240 delegados no evento, representando os 16 municípios do Estado. O Governo do Amapá fez parte na construção da conferência, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS). O evento é promovido em parceria com o Conselho Estadual de Saúde e sociedade civil.

A etapa estadual da conferência, que debate políticas de prevenção em saúde, aprovou 12 propostas discutidas em quatro grupos de trabalho que foram divididos nos seguintes eixos: “O Lugar da Vigilância em Saúde no SUS”; “Responsabilidades do Estado e dos Governos com a Vigilância em Saúde”; “Saberes, Práticas, Processos de Trabalhos e Tecnologias na Vigilância em Saúde”; e “Vigilância em Saúde Participativa e Democrática para Enfrentamento das Iniquidades Sociais”.

Foram eleitos para a etapa nacional 12 delegados, sendo 6 gestores, 6 trabalhadores e 12 usuários do Sistema único de Saúde (SUS). A I Conferência Nacional de Vigilância em Saúde será em Brasília entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro.

Mesa de abertura


A cerimônia de abertura contou com a presença de secretário de Gestão e Planejamento da Sesa, Paulo Távora, que representou o governador Waldez Góes e o secretário de Estado da Saúde, Gastão Calandrini, além de estar na condição de presidente do fórum. Távora destacou o compromisso do Governo do Amapá em fortalecer a Vigilância em Saúde a partir da criação de uma superintendência do segmento, ação realizada pelo governo em julho deste ano.

“Quanto mais pudermos trabalhar com a prevenção, temos certeza que podemos ter com essa medida nas unidades hospitalares um menor impacto e assim atendermos melhor a população. As decisões tomadas no fórum vão propiciar cada vez mais a obrigação de dividir melhor esse orçamento e garantir todo financiamento para a saúde”, disse Távora.

Para o superintendente de Vigilância em Saúde do Amapá, Dorinaldo Malafaia, a criação da SVS é uma resposta a uma reivindicação histórica dos movimentos sociais de saúde pública. “Em julho deste ano o governador Waldez Góes entendeu que a criação da SVS é uma demanda histórica que vinha sendo debatida nos fóruns de movimento de saúde. Que a partir da conferência possamos apresentar as diretrizes para o fortalecimento da vigilância em saúde. Esse é o grande legado deste evento”, ressaltou o gestor.

Já a presidente do Conselho Estadual de Saúde, Sivalda Nazaré Pereira Cunha, destacou o protagonismo dos delegados e demais participantes da conferência no processo de decisão das propostas a serem desenvolvidas no decorrer dos debates. “Só temos a agradecer a participação de todos porque vocês [delegados] são os principais autores desta conferência. As propostas que estamos construindo são muito importantes pois são vocês sabem onde a vigilância em saúde precisa melhorar”, concluiu a presidente do Conselho.

Também estiveram presentes a presidente do Conselho Estadual de Saúde; Ivone Matos Miranda, representando a Assembleia Legislativa; Roberto Bauer Melo de Lima, diretor do Núcleo do Ministério da Saúde no Amapá; Wanderley Gomes, representando o Conselho Nacional de Saúde; e Josimar Silva dos Santos, Conselho das Secretarias Municipais de Saúde.

 

Fonte: Diário do Amapá

Ler 37 vezes Última modificação em Terça, 14 Novembro 2017 13:05