Santa Maria (RS) se prepara para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde

Começou na segunda-feira (31/07) a Conferência Livre de Vigilância em Saúde na Atenção Básica, em Santa Maria (RS), promovida pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS). O evento é uma etapa preparatória para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (1ªCNVS), que será realizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), de 21 a 24 de novembro, em Brasília. O presidente do CNS, Ronald Santos, participou da abertura que contou com a presença de cerca de 200 trabalhadores, entre agentes de saúde, médicos e enfermeiros.

Ronald abordou a conjuntura atual da saúde brasileira, os eixos da 1ªCNVS, a necessidade de articulação e integração entre os tipos de vigilâncias (Sanitária, Epidemiológica, Ambiental e em Saúde do Trabalhador) com a atenção básica. No final da tarde, o presidente do CNS participou de uma reunião com o grupo gestor do cuidado às vítimas da tragédia da boate Kiss, formado por representantes dos governos federal, estadual e municipal, trabalhadores e associação de familiares. “A presença do presidente do CNS aqui no município, falando de temas como o da tragédia, passa a ser uma referência para o país todo”, declarou Sueli Barrios, conselheira do CNS.

O presidente também visitou o Hospital Regional de Santa Maria, que já deveria funcionar com 213 leitos, mas continua fechado. Um investimento público de mais de R$ 50 milhões, oriundos 100% do SUS, de acordo com Sueli. “É importante fazer essa discussão para levar ao conjunto de conselheiros e garantir que a saúde não seja privatizada. O hospital foi construído com recursos públicos e não queremos que ele seja entregue à iniciativa privada resultando na diminuição do número de leitos para a saúde pública”, explicou.

Abaixo-assinado

Ronald também participou de um encontro nesta terça (01/08) que contou com a presença do prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobon, a Secretária de Saúde, Liliane Mello e com o Superintendente da Vigilância em Saúde, Alexandre Strepe. Participaram também os integrantes dos conselhos municipais de saúde da região. “Hoje tive a oportunidade de solicitar, sendo prontamente acatado, o empenho do Prefeito em liderar na região a coleta de assinaturas da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN)”, declarou o presidente do CNS.

O CNS lançou o abaixo-assinado contra a Emenda Constitucional nº 95/2016, que traz graves prejuízos à população brasileira. A emenda congela os gastos com saúde e educação por 20 anos, fragilizando de forma severa o Sistema Único de Saúde (SUS). O documento será enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), em abril de 2018.

Ascom CNS

Ler 63 vezes